Colômbia anuncia ter vídeo com Ingrid Betancourt 'viva'

Ex-candidata à presidência colombiana foi sequestrada pelas Farc em 2002.

BBC Brasil, BBC

30 de novembro de 2007 | 08h30

O governo colombiano anunciou ter descoberto provas de que a ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt, três americanos e vários militares seqüestrados pelas Farc, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, estariam vivos.Segundo um comunicado do governo divulgado nesta sexta-feira, o exército capturou três integrantes das Farc em Bogotá e encontrou com eles cinco vídeos com imagens de vários reféns capturados pela guerrilha.O comunicado destaca que "três pessoas foram capturadas em flagrante, em cujo poder se encontraram provas de sobrevivência de um grupo de sequestrados pelas Farc".Quatro dos cinco vídeos, incluindo o que registra imagens de Betancourt - que foi seqüestrada em fevereiro de 2002 - têm data de gravação correspondente aos dias 23 e 24 de outubro deste ano, segundo as autoridades.O comunicado afirma que o vídeo mostra imagens de Mark Gonçalves, Kein Stambler e Thomas Howes, trabalhadores americanos também reféns das Farc.Outros mostram integrantes do exército colombiano, também em poder da guerrilha.Nas imagens divulgadas na TV colombiana, a ex-candidata presidencial aparece com o rosto abatido, na selva."O governo da Colômbia vai enviar cópia deste material aos governos da França e dos Estados Unidos por conta da dupla cidadania de Ingrid Betancourt e dos três norte-americanos que aparecem nos documentos", afirma o comunicado.O grupo rebelde exige a libertação de 500 de seus integrantes, atualmente detidos em prisões colombianas, como um dos requisitos para a libertação de vários dos reféns.David Martinon, porta-voz da presidência francesa, disse em Paris que a França considera a descoberta dos vídeos "uma grande notícia".Segundo Martinon, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, "permanece determinado a conseguir a libertação de todos os seqüestrados".Em entrevista à BBC Mundo Hoy, Astrid Betancourt, irmã da refém, disse que "obviamente, para nós é extremamente reconfortante ver uma prova de vida de minha irmã Ingrid, já que estamos esperando esta prova há quatro anos".Astrid disse que, além da emoção, o vídeo deixou a família preocupada porque "não é um vídeo em que ela fala muito animada, é mais uma foto, em que ela aparece triste, olhando para o chão".A irmã da ex-candidata presidencial acrescentou: "Queremos agradecer ao presidente (da Venezuela Hugo) Chávez, e à senadora (colombiana) Piedad Córdoba, porque foi graças à mediação deles que se pôde obter este compromisso com as Farc , que nos fez ter esta prova de vida".BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.