Colombianos são presos acusados de furto no Rio

Os colombianos Eyber Muriel Cardona e Alessander Munhoz Botero foram presos nesta segunda-feira, 14, no Rio, acusados pela Polícia Civil de integrar uma quadrilha que furtou pelo menos 11 apartamentos de luxo no Rio desde 2012, a maioria na Barra da Tijuca (zona oeste).

FÁBIO GRELLET, Agência Estado

14 Outubro 2013 | 18h49

Eles também são acusados de agiotagem e de lavagem de dinheiro. Há indícios de que o grupo também agia em São Paulo e Minas Gerais. Cardona morava no centro e Botero, em Vila Isabel (zona norte). Segundo a polícia, os acusados negam os crimes, embora, em alguns deles, tenham sido flagrados por câmeras de segurança.

Outras 11 pessoas suspeitas de integrar a quadrilha, sendo nove estrangeiros, estão sendo investigadas. Elas foram conduzidas à delegacia, prestaram depoimentos, foram indiciadas por formação de quadrilha e liberadas.

Uma das vítimas foi o jogador de futebol Dario Conca, argentino que defendeu o Fluminense entre 2008 e 2011 e atualmente joga no clube chinês Guangzhou Evergrande. Em 4 de junho de 2012, ladrões furtaram de sua cobertura, na Barra da Tijuca, joias e aparelhos eletrônicos avaliados em R$ 300 mil. Câmeras de segurança flagraram Cardona em ação no imóvel, onde não havia ninguém.

Segundo investigadores da 16º Delegacia de Polícia (DP), eles investigavam a rotina das vítimas e agiam quando sabiam que não havia ninguém no imóvel. Vestindo roupa social, apresentavam-se ao porteiro se passando por familiares do dono e alegando ter a chave do imóvel. Para entrar nos apartamentos, arrombavam a porta.

O grupo também é acusado de emprestar dinheiro a juros a comerciantes da zona oeste e chegou a manter no Rio uma escola de idiomas - segundo a polícia, uma forma de lavar dinheiro.

Mais conteúdo sobre:
colombianos prisão furto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.