Com boa chuva, pastagem cresce vigorosa

Alimentação é abundante para o gado. Em todas as regiões do Estado a umidade do solo está em seu nível máximo

Fábio Marin, O Estado de S.Paulo

27 Fevereiro 2008 | 02h41

Mais uma semana de chuva em todo o Estado, causada por um frente fria de forte intensidade que chegou ao Sudeste na quinta-feira. A precipitação acumulada no período oscilou entre 32 milímetros em Sorocaba e 91 milímetros em Presidente Prudente. A forte nebulosidade manteve o tempo encoberto. A máxima chegou aos 33,1 graus em Ilha Solteira, e a mínima foi de 16,9 graus em São Carlos. A umidade do solo continua no nível máximo em todas as regiões, há cinco semanas. Neste período, praticamente não houve deficiência hídrica nas pastagens, onde a chuva tem sido suficiente para garantir o crescimento das gramíneas em taxas elevadas, resultando em alimentação abundante para o gado. BOIEsta situação explica em parte o momento atual do mercado do boi, pois neste período é comum o preço da arroba cair por causa da elevação da oferta de gado, mas, neste ano, a maior facilidade para manter os animais no pasto, associada à redução no rebanho, mantém o preço alto, favorecendo os produtores. O excesso de chuvas provocou excedente hídrico que afetou as áreas mais íngremes e danificou as estradas. Produtores de leite e horticultores são os que mais sofrem. Em Mogi das Cruzes, os temporais afetaram áreas de produção de verduras e atrasaram a colheita do caqui. A chuva também favoreceu a propagação de doenças nos cafezais de S. José do Rio Pardo, Garça e Mococa, e os produtores têm dividido o tempo entre o tratamento fitossanitário para controlar a ferrugem e a venda do resto da safra do ano passado. As lavouras de soja cultivadas com variedades precoces em Miguelópolis, Palmital e Ituverava já entraram no ponto de maturação fisiológica, com bom rendimento e preços interessantes. Mas os produtores estão preocupados com a chuva, que impede a colheita. A chuva constante também preocupa por causa da possibilidade de atraso na semeadura da safrinha de milho.O excesso de chuva dificultou a semeadura do feijão da seca em Itaberá, Itararé e Capão Bonito e atrasou a colheita da uva niagara em Valinhos, Vinhedo e Jundiaí. O tempo dificultou a colheita da batata em Itapetininga, Socorro e Paranapanema; do tomate em Mogi-Mirim, Sumaré e Guaíra e a extração do látex em São José do Rio Preto e Votuporanga.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.