Com filas de carros, Guarujá terá Zona Azul

O sol a pino em pleno feriado prolongado manteve as praias do Guarujá repletas de turistas no dia de ontem. A briga por espaço não acontece apenas na faixa de areia. Nas ruas e avenidas, motoristas enfrentam os congestionamentos típicos dos feriados e já se preparam para um novo desafio: a eliminação de vagas de estacionamento gratuitas em áreas comerciais e turísticas da cidade e a instituição da Zona Azul.

AE, Agência Estado

24 de abril de 2011 | 07h31

A prefeitura publicou em dezembro uma lei criando o estacionamento pago e faz na próxima quinta-feira uma audiência pública para discutir o tema. O planejamento é publicar em seguida a regulamentação da medida, que definirá quantas vagas serão criadas e onde. Estão na mira, entre outras, avenidas como a Puglisi e a Leomil - uma espécie de bolsão de estacionamento para quem vai a Pitangueiras. Quem for à cidade na próxima temporada já deverá se deparar com a modificação.

A proposta é criar pelo menos 2 mil vagas pagas, substituindo as gratuitas - a hora custará entre R$ 1 e R$ 2. A criação da Zona Azul é discussão antiga na cidade. Uma lei de 2008 já a previa, mas não foi implementada. Era polêmica e previa cobrar o estacionamento apenas de veículos de fora, isentado os emplacados no Guarujá.

Para a diretora interina de Trânsito e Transporte, Quetlin Scalioni, essa medida fere a Constituição. "Todos somos iguais perante a lei, sem distinção", diz ela, que justifica a criação da Zona Azul afirmando que motoristas paulistanos descem para o litoral na temporada e deixam seus carros parados no mesmo local por vários dias seguidos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
litoralGuarujázona azul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.