Com greve da PM, Salvador tem madrugada de saques

Os policiais militares da Bahia que estão em greve desde a noite desta terça, 15, preparam uma contraproposta para apresentar ao comando da Polícia Militar (PM) nesta quarta-feira, 16. De acordo com o vice-presidente da Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares do Estado da Bahia (ASPRA), Fabio Brito, uma reunião da categoria com representantes do governo está marcada para as 16h.

ADRIANA NERY, Agência Estado

16 de abril de 2014 | 11h09

Por causa da ameaça de greve, já durante a tarde, escritórios comerciais e até repartições públicas liberaram os trabalhadores para que voltassem para casa mais cedo. Faculdades cancelaram as aulas do turno da noite.

Na madrugada de ontem, lojas e supermercados foram arrombados e saqueados. Os mercados Cesta do Povo do Vale, localizado no bairro do Ogunjá, e Casas Freire, no bairro de São Marcos, foram invadidos e tiveram produtos e até carrinhos de compras furtados.

A greve também afetou a circulação de ônibus em Salvador. O Sindicato dos Rodoviários, preocupado com a integridade dos trabalhadores e dos usuários de ônibus, orientou a categoria a recolher os ônibus, retornando às atividades normais na manhã de hoje.

Segundo a categoria, entre 70 e 80% dos policiais militares aderiram a paralisação.

Tudo o que sabemos sobre:
grevePMSalvadorsaques

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.