Com meningite, empregado de hotel deve ir para UTI

Cerca de 1,8 mil trabalhadores do complexo hoteleiro da Costa do Sauipe (BA) foram medicados

Tiago Décimo / SALVADOR, O Estado de S.Paulo

13 de setembro de 2011 | 00h00

Dos quatro homens de 22 a 25 anos com meningite internados no Hospital Couto Maia, em Salvador, um corre o risco de morrer por causa da doença e deve ser transferido para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI), segundo a Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab). Os outros seguem em observação, com estado considerado estável.

Eles são funcionários do complexo hoteleiro da Costa do Sauipe, na Bahia. Três de seus colegas, dois homens, de 19 e 23 anos, e uma mulher, de 54, morreram por causa da doença.

O medo de contrair a forma mais grave da meningite está fazendo com que outros funcionários do complexo faltem ao trabalho. Moradores dos distritos próximos, onde residem praticamente todos os empregados do destino turístico, também estão apreensivos. "Tenho medo de ir lá e voltar com alguma doença que minha família pegue", disse um homem de 31 anos, morador de Porto Sauipe, distrito de Entre Rios, que trabalha em um dos hotéis e prefere não se identificar. "Combinei com quatro colegas de só voltar quando ninguém mais ficar doente."

A assessoria do complexo, que reúne cinco hotéis, cinco pousadas, centros esportivos, lojas e restaurantes, afirmou que os trabalhos não foram prejudicados.

Os 1,8 mil funcionários foram medicados preventivamente e os que ainda não foram vacinados receberão o imunizante.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.