Com neblina, aeroportos de SP operam por instrumentos

Segundo a Infraero, apesar do quadro, operações aconteciam sem prejudicar os vôos e passageiros

Paulo R. Zulino, estadao.com.br

13 de junho de 2008 | 07h55

Os aeroportos de Congonhas, na zona sul da capital paulista, e Internacional Governador André Franco Montoro, em Cumbica, Guarulhos, na Grande São Paulo, funcionavam no início da manhã desta sexta-feira, 13, com o auxílio de instrumentos, para pousos e decolagens, em razão do nevoeiro. Conforme a assessoria de imprensa da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), apesar desse quadro, as operações aconteciam sem prejudicar os vôos e a movimentação de passageiros.Em Congonhas, o uso de aparelhos teve início logo na abertura do aeroporto, às 6 horas. Até as 7 horas, dos 23 vôos programados, nenhum atrasou 30 minutos ou mais e somente dois foram cancelados. Em Cumbica, a utilização de instrumentos foi adotada às 5 horas, mas, até as 7h40, não havia registro de vôos alternados para outros aeroportos. Entre a zero hora e as 7 horas, dos 15 vôos previstos, não houve atrasos iguais ou maiores que meia hora. Também não houve cancelamentos.

Tudo o que sabemos sobre:
aviaçãovisibilidadeneblina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.