Com vigilantes em greve, 80% dos bancos fecham em Vitória

Bancários querem pedir à Polícia Federal ajuda no policiamento das agências; vigilantes pedem 30% de reajuste

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

13 Janeiro 2009 | 11h13

Cerca de 80% das agências bancárias da Grande Vitória estão fechadas nesta terça-feira, 13, devido à greve dos vigilantes de bancos do Espírito Santo. A estimativa é que 8 mil vigilantes estão parados por tempo indeterminado por conta do impasse nas negociações salariais entre os sindicatos, trabalhadores e empresas de segurança. Na segunda, as agências também ficaram fechadas, segundo o Sindicato dos Vigilantes Patrimoniais.   No centro de Vitória, algumas agências bancárias ficaram fechadas, respeitando a Lei nº 7.102, que dispõe sobre a segurança nos estabelecimentos bancários, mas outras funcionaram normalmente, mesmo sem a presença de vigilantes, segundo o sindicato dos Bancários.   O sindicato deve protocolar um ofício na Polícia Federal solicitando fiscalização nas agências bancárias durante a greve dos vigilantes. "Vamos exigir que a Lei nº 7.102 seja cumprida, ou seja, agência bancária sem vigilante não pode funcionar. É preciso garantir a segurança dos bancários e dos clientes", afirma André Sabino, secretário geral do Sindicato.   As empresas de segurança privada do Espírito Santo estão oferecendo 8% de aumento salarial, vale alimentação de R$ 8,10 por dia, acréscimo por hora extra de 60%. Os vigilantes querem 30% de reajuste salarial, reajuste no valor do vale-refeição e reajuste de 30% no adicional de risco de vida.

Mais conteúdo sobre:
greveESbancovigias

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.