Combate à dengue não é dever do governante, diz Lula

Para presidente, a responsabilidade é dos cidadãos que não devem deixar seus quintais virarem 'mosquitórios'

TÂNIA MONTEIRO, Agencia Estado

09 de maio de 2008 | 21h08

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta sexta-feira, 9, que o combate à dengue não é responsabilidade dos governantes, mas sim, de cada cidadão. Lula afirmou, provocando risos na platéia em Salvador, que cada um tem de "cuidar do seu quintal", evitando que se permita que ali se forme "uma poça d''água, à espera de um casal que faça o seu acasalamento 'mosquitório' e coloque a sua larva lá e gere um mosquitinho para picar uma pessoa."Na opinião dele, "as pessoas ficam achando que é o presidente da República que vai ter de comer os mosquitos da dengue; aí, acham que é o governador ou que é o prefeito". Para Lula, neste caso, "não tem presidente, não tem governador, não tem prefeito, a questão da dengue é uma questão de cada cidadão". O presidente ensinou: "Da mesma forma que ele toma banho de manhã, da mesma forma que ele escova os dentes de manhã, da mesma forma que ele bota o sapato de manhã, ele tem de saber se tem água parada no seu quintal, jogar fora, para que o mosquito não bote larva. Por que a gente não tem de esperar o mosquito nascer para matar, porque ele mata a gente primeiro do que ele."Lula condenou uma prática que, segundo ele, é comum no País, de um sempre achar que é o outro que tem de resolver as questões que aparecem, e que isso também não pode acontecer em relação à dengue. "Na questão da dengue, não é o outro. Às vezes, minha mãe dizia: ''O macaco senta em cima do rabo e fica olhando o rabo dos outros''", afirmou, insistindo que todos precisam estar atentos à existência de focos do mosquito.Lula advertiu que "é preciso a gente evitar que ele nasça". Ele recomendou: "Então, se cada um cuidar da sua casa, numa rua, todos cuidarem da sua casa, não fica uma rua sem ser cuidada. Se todos os bairros cuidarem da sua casa, você já tem o bairro cuidado. Numa cidade, num Estado e no País."

Mais conteúdo sobre:
dengueepidemiaLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.