Combates em Darfur forçam 12 mil a fugir para assentamentos

Cerca de 12 mil pessoas fugiram dos combates entre o exército do Sudão e rebeldes de Darfur e estão se encaminhando para campos de refugiados e assentamentos já superlotados no território, disseram neste domingo as forças de manutenção da paz.

REUTERS

19 de dezembro de 2010 | 10h39

O Exército sudanês entrou em combate com insurgentes no vilarejo de Khor Abeche, no Sul de Darfur, pelo menos três vezes neste mês, obtendo fortes críticas por parte dos enviados da Organização das Nações Unidas.

"A Missão notou que aproximadamente 12 mil pessoas fugiram da região e estão indo para os campos de desabrigados de Shangil Tobaya e Zam Zam, perto de El Fasher, no Norte de Darfur", afirmaram as forças de manutenção de paz Unamid, em comunicado.

O Exército sudanês atacou combatentes do Movimento e Libertação do Sudão, leais a Minni Arcua Minnawi, na semana passada, e os enfrentamentos continuaram na sexta-feira, afirmou a força conjunta da ONU e da União Africana.

Minnawi foi o único líder rebelde a assinar, em 2006, um acordo de paz o governo. O Exército sudanês declarou no começo deste mês que Minnawi era um alvo militar, acusando-o de quebrar um cessar-fogo e tramar um ajuntamento com rebeldes que ainda lutam contra o governo.

Os combates podem ser a pá de cal no acordo de paz, que foi boicotado pelos dois principais grupos rebeldes da região e não contribuiu em nada para conter a violência, bandidagem e instabilidade legal no território.

A Unamid informou que 100 pessoas já tinham chegado em Darfur do norte no sábado. Agências humanitárias já começaram a enviar kits de primeiros socorros e outros mantimentos.

(Reportagem de Andrew Heavens)

Tudo o que sabemos sobre:
SUDAODARFURFUGA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.