AP
AP

Combates perto de aeroporto em Damasco deixam dois civis mortos

Ônibus de funcionários foi atingido por disparos; mais cedo, jatos sírios bombardearam alvos rebeldes

estadão.com.br,

30 de novembro de 2012 | 13h37

(Texto atualizado às 18h50) BEIRUTE - Dois civis morreram nesta sexta-feira, 30, durante confronto entre rebeldes e militares perto do aeroporto internacional de Damasco, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos, um grupo de monitoramento sediado na Grã-Bretanha. Mais cedo, jatos da força aérea da Síria bombardearam alvos rebeldes perto da estrada que leva ao aeroporto.

As mortes aconteceram quando um ônibus que levava funcionários do aeroporto foi atingido durante a troca de tiros em uma rua próxima ao local. Ativistas relataram que confrontos ocorreram em torno dos distritos de Aqraba e Babilla, na periferia sudeste de Damasco, que levam ao aeroporto internacional.

De acordo com uma fonte ouvida pela AFP, o tráfego aéreo e o embarque de passageiros estava normal nesta sexta-feira. Ontem, as companhias EgyptAir e a Emirates Airlines haviam anunciado a suspensão dos voos por causa da violência.

A maioria das conexões de Internet e linhas telefônicas estavam sem funcionar pelo segundo dia, na pior queda de comunicações nos 20 meses do levante, em que 40 mil pessoas foram mortas, centenas de milhares fugiram do país, e milhões foram deslocados.

Os rebeldes de maioria muçulmana sunita, que estão lutando contra o presidente Bashar Assad, da minoria alauíta ligada ao Islã xiita, vêm registrando ganhos ao redor da Síria com a invasão de bases militares e aumentando os ataques em Damasco, sede do poder.

Um morador do centro de Damasco disse à Reuters que podia ver fumaça preta subindo ao leste e ao sul da cidade na manhã desta sexta-feira e podia ouvir o estrondo constante de bombardeios. "As companhias aéreas não estão operando para Damasco hoje", informou um funcionário de uma empresa com sede em Dubai. A EgyptAir e a Emirates suspenderam voos para a Síria na quinta-feira.

O diretor do Observatório, Rami Abdelrahman, informou que a estrada do aeroporto estava aberta, mas havia tráfego mínimo. Autoridades sírias disseram na noite de quinta-feira que a estrada do aeroporto era segura depois que as forças de segurança a limparam de "terroristas", rótulo que Damasco usa para descrever opositores armados de Assad.

MORTEIROS LANÇADOS

Rebeldes disseram que pelo menos um morteiro foi lançado no aeroporto durante os confrontos de quinta-feira. "Queremos liberar o aeroporto por causa de relatos que vemos e da própria informação que temos, que mostra que aviões civis estão voando para cá com armas para o regime. É do nosso direito interromper isto", afirmou o porta-voz rebelde Abu Musaab Qitada.

Autoridades norte-americanas e europeias disseram que rebeldes estavam registrando ganhos na Síria, gradualmente erodindo o poder de Assad, mas que a luta ainda não tinha mudado completamente a seu favor.

Um diplomata em Damasco disse que acredita que a escalada na luta em torno da capital foi parte de uma ofensiva do governo que visava isolar o centro da cidade controlado pelo Estado das áreas rurais do sul e do leste tomadas pelos rebeldes.

Com Reuters e AP

Tudo o que sabemos sobre:
primavera árabeSíriaBashar Assad

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.