Começa o Circuito Boi Verde 2008

O lote de 56 animais, sendo 34 pesando entre 18 e 19 arrobas, 52 com gordura mediana e 40 com até 4 dentes (até 36 meses de idade), características que garantem a nota 10, do pecuarista André Bartocci, foi o vencedor da 1ª etapa do Circuito Boi Verde de Julgamento de Carcaças. Em sua 6ª edição, a disputa ocorreu em 17 e 18 de abril, no frigorífico Independência, em Nova Andradina (MS).HOMOGENEIDADE''Era um lote com muitos animais bastante jovens, pesados e bem acabados e bastante homogêneo'', diz o zootecnista Guilherme Alves, um dos coordenadores do Circuito, promovido pela Associação dos Criadores de Nelore do Brasil (ACNB) em parceria com a Tortuga. Conforme Alves, nove pecuaristas participaram da 1ª etapa, com dez lotes, num total de 576 animais.''Todos os lotes tinham qualidade. Foi uma disputa acirrada'', diz Alves. ''As etapas realizadas em Mato Grosso do Sul são bastante concorridas.''Segundo Alves, 90% dos animais avaliados eram jovens, com até 36 meses de idade. Além disso, 80% tinham entre 17 e 20 arrobas e 75% apresentaram gordura mediana. ''Isso mostra que os pecuaristas estão abatendo animais cada vez mais jovens e pesados.''Para este ano, estão previstas 20 etapas. ''O circuito é um sinalizador do que o mercado está querendo, então a expectativa é de etapas cada vez mais disputadas, com animais melhores e lotes homogêneos'', diz Alves. A próxima etapa será nos dias 13 e 14, na unidade do Grupo Marfrig, em Bataguassu (MS).No ano passado, foram realizadas 13 etapas, que mobilizaram pecuaristas e frigoríficos de 8 Estados, além de uma etapa internacional, no Paraguai. Ao todo, foram mais de 170 criadores e o número de animais inscritos chegou a 8.939.Em cinco anos, o campeonato já avaliou 52.930 animais em dez Estados brasileiros (AC, ES, GO, MG, MS, MT, PR, RO, SP e TO) e no Paraguai. Organizado pela ACNB, o circuito permite o mapeamento do desempenho frigorífico dos animais da raça nelore no Brasil e em países vizinhos. Além disso, proporciona a troca de experiências e a valorização dos pecuaristas.A iniciativa ainda cumpre a função de orientar o produtor sobre a importância de obter lotes padronizados, em relação à raça, sexo, idade, peso e acabamento de carcaça. Em 2007, foi registrado crescimento de 4% a cada etapa, tanto no volume de animais quanto na participação dos criadores, em comparação a 2006. Informações, www.nelore.org.br.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.