Começar por onde: pelo expresso, pelo biscoito ou pela aguinha?

O final da refeição, o momento em que o cliente pede um café e a conta, é o tema do post de hoje do De Grão em Grão.

O Estado de S.Paulo

22 Novembro 2012 | 02h11

Os bons restaurantes cada vez mais capricham na escolha do café que vão servir. "Em dez anos de trabalho, o público se tornou mais exigente e prefere pagar por um bom cafezinho", diz Georgia Franco, proprietária do Lucca Cafés Especiais, em Curitiba. Para acompanhar o café escolhido com cuidado, as casas também capricham nos quitutes que vêm com a xícara à mesa.

Os restaurantes Brasil a Gosto, Emiliano, Pomodori, Mocotó, Dalva e Dito e Bar da Dona Onça são destacados no post por servirem bons bocados junto de boas xícaras - eles vão das balas de leite trazidas de São José do Rio Pardo, servidas no Bar da Dona Onça, às madeleines assadas no Emiliano pelo chef pâtissier Arnor Porto.

O post de hoje também resolve um dilema comum na hora em que expresso, copinho de água com gás e biscoito chegam, todos juntos, à mesa: que fazer primeiro? Dar um gole ou uma mordida?

"No caso do expresso, primeiro dê uma mordida no quitute, em seguida um gole na água com gás, depois um gole no café e, então, repita uma dose de água com gás", ensina a barista Flavia Pogliani, que completa dizendo que, depois de provar cada um separadamente nessa ordem, você está liberado para misturar tudo.

O café coado, que aparece cada vez mais - é servido, por exemplo, no Brasil a Gosto, acompanhado de uma bala de coco - é mais fácil de combinar: com ele, a ordem é indiferente, comece por onde quiser e depois siga naquela toada de dar um gole no café e uma mordida no docinho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.