Comentário de médico gera condenação no PR

A prefeitura de Foz do Iguaçu (PR) foi condenada a pagar R$ 4 mil de indenização à avó de uma criança que teria sido vítima de comentários vexatórios por parte de um médico de um posto de saúde municipal. A avó foi ao posto pedir certidão de saúde para matricular os quatro netos numa creche. Ao atender o menino L.I.S., o médico G.C.M. teria dito que "da forma como estava (referindo-se aos cabelos longos), era um homossexual" e "hermafrodita". Segundo a avó, a responsável pela creche não quis acolher a criança após ler as anotações do médico. A avó teve de tirar a roupa do menino para provar que ele era normal.

Evandro Fadel,

18 Junho 2011 | 00h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.