Comercialização de café 11/12 do Brasil atinge 85% até fevereiro

A comercialização de café do Brasil no ciclo 2011/12 atingiu 85 por cento da safra até fevereiro, equivalente a 40,47 milhões de sacas de 60 kg, mas ligeiramente abaixo de igual período do ciclo anterior, de acordo com estimativa da SAFRAS & Mercado divulgada nesta sexta-feira.

REUTERS

16 Março 2012 | 19h58

Segundo a consultoria, no mesmo período da safra anterior, 2010/11, os cafeicultores haviam comercializado 87 por cento da produção estimada.

Os negócios ganharam mais ritmo em fevereiro, diante da melhora no interesse de venda das últimas semanas, informou a consultoria.

"A confirmação da queda nos preços e o fantasma da safra nova que se aproxima explicam o interesse de venda. Isso não significa pressão vendedora, apenas uma maior predisposição à venda", disse o analista sênior Gil Barabach, da SAFRAS & Mercado, em comunicado.

A safra brasileira de café vai de julho a junho.

SAFRA NOVA

Com relação à safra nova 2012/13, o analista disse que as vendas antecipadas da produção estão bem abaixo do normal para o período.

"Nas regiões de negociação mais dinâmicas, onde o normal seria negociar algo entre 30 por cento a até 35 por cento da safra antecipadamente, o comprometimento gira em torno de 15 por cento a 20 por cento", apontou a consultoria.

Barabach afirma que o produtor ainda está "arredio" à venda antecipada, ainda se recompondo da frustração com a queda do mercado internacional.

Nos últimos meses os preços de café entraram em tendência de queda. Na sexta-feira, o contrato maio do café arábica fechou em baixa de 2,95 centavos, a 1,8235 dólar por libra-peso.

A safra 2011/12 é estimada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) no intervalo entre 49 milhões e 52,3 milhões de sacas, podendo atingir recorde para um ano de ciclo de alta na produção de café arábica.

A estimativa da estatal normalmente é menor que a de analistas e consultorias. Veja outras projeções em

(Por Fabíola Gomes)

Mais conteúdo sobre:
COMMODSCAFESAFRA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.