Comércio eletrônico cresceu 116% no Brasil em 2007

Com o crescimento, País ocupa o quatro lugar entre as nações da América Latina com maiores vendas

Efe,

25 Junho 2008 | 15h55

O comércio eletrônico cresceu 116% no Brasil em 2007, o que situou o país no quarto lugar das nações latino-americanas que registraram maior quantidade de vendas online, segundo um estudo divulgado nesta semana pela AmericaEconomia Intelligence e divulgado pela Visa America Latina.   No total, o comércio eletrônico cresceu 40% na América Latina e no Caribe em 2007, ao mobilizar mais de US$ 10 bilhões, uma alta atribuída ao crescimento econômico da região, avanços na tecnologia e mudanças no comportamento do consumidor.   O relatório aponta que nos dois últimos anos a alta foi de 121% na América Latina. O ranking de nações onde a comercialização online cresceu mais é liderado por Venezuela, com uma taxa de 224%, seguida de Chile, com 183%, México, com 143%, e Brasil, com 116%.   "O poder de compra gerado por um crescimento sustentado da economia na América Latina foi chave para que consumidores e companhias contem com a possibilidade de efetuar transações e realizar negociações no mundo virtual", indicou o estudo.   Foi descoberto que mais de um terço das transações em linha são compras realizadas pelos consumidores fora do país de origem; e que nas nações nas quais o comércio eletrônico se encontra menos desenvolvido, o percentual de transações internacionais pode chegar a 90%.   Do ponto de vista social, o mercado dos mais jovens é o que lidera as despesas no comércio eletrônico, já que se sentem mais confortáveis adotando e utilizando novas tecnologias.   O aumento acelerado da internet e de banda larga também contribuiu ao crescimento do comércio, segundo o relatório.   "A contribuição tecnológica vem de um aumento de 48% na penetração na internet, assim como mais de 100% de crescimento no acesso à banda larga durante os últimos dois anos. Isto resultou em conexões mais rápidas que fazem com que as compras online sejam mais convenientes e mais fáceis que nunca", aponta o texto.   O relatório também concluiu que os cartões de crédito desempenham um papel principal na expansão do comércio eletrônico: mais de 70% dos consumidores entrevistados preferem esta forma de pagamento na hora de comprar pela internet.   Apesar deste crescimento, esta forma de comércio não alcançou, segundo o relatório, um estado de maturidade na América Latina e no Caribe, e somente "representa 0,32% do Produto Interno Bruto (PIB) da região". Em mercados maduros, como os Estados Unidos, "o comércio eletrônico constitui 0,98% do PIB do país".

Mais conteúdo sobre:
Comércio Eletrônico América Latina

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.