Comida integral não é com ela

Nascida e criada em Calciolândia, Minas Gerais, Nadir Alves Moreira já fez de tudo um pouco. Trabalhou como copeira e cozinheira por 38 anos para a família Andrade, tanto na casa de Belo Horizonte quanto na Fazenda Calciolândia, no interior do Estado. E chegou a morar três anos e meio nos Estados Unidos, onde foi babá de Lucas, um dos netos da patroa, d. Vera Andrade.

Janaina Fidalgo, O Estado de S.Paulo

08 Setembro 2011 | 00h18

Apesar de ter se desligado "oficialmente" há um ano da fazenda, quando se aposentou, Nadir não cortou o vínculo com a família e, vira e mexe, volta para preparar as comidas preferidas dos patrões, filhos e netos.

Foi com Maria Salomé de Jesus, tia de uma das atuais cozinheiras da fazenda, que Nadir aprendeu boa parte do que sabe fazer. Entre outras coisas, o biscoito de polvilho extremamente levinho e crocante que, em questão de segundos, desaparece do cestinho assim que sai do forno. "É fácil de fazer, mas o importante é saber dar o ponto certo. Tem que ficar puxa-puxa, quase como se fosse uma goma de passar na roupa", ensina Nadir, enquanto escalda a massa dos biscoitos, acompanhamento perfeito para o café recém-coado e até como aperitivo com a cerveja gelada.

"Tudo que a d. Maria Salomé fazia na cozinha eu prestava atenção. Mas tem um detalhe: eu gosto de fazer o que é bom, o que é gostoso. Esse negócio de comida integral eu não gosto não, porque não tem gosto", diz Nadir, rindo.

Mas o repertório da cozinheira mineira vai bem além. Gosta de fazer os pratos que agradam à família de d. Vera, como frango caipira com quiabo, codorna recheada e assada e bobó de camarão. Mas preparar quitandas e doces é a ocupação preferida de Nadir. "Adoro fazer pudim, doce de mamão e goiabada", diz.

Receita

Biscoito de polvilho

Ingredientes

1 copo e 1/2 de polvilho azedo

1 copo de água

2/3 de copo de óleo

3/4 de copo de leite

1 colher (sopa) de sal

1 ovo

Preparo

Misture a água, o óleo, o leite e leve ao fogo até abrir fervura. Escalde, aos poucos, o polvilho com essa mistura e vá mexendo até conseguir uma textura de goma, puxa-puxa. Se for necessário mais líquido para dar o ponto, ponha mais água morna. No final, adicione o ovo e misture bem.

Ponha a mistura em um saco plástico, corte a ponta e modele biscoitos compridos em uma fôrma untada com manteiga. Asse em forno preaquecido até ficarem levemente dourados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.