Comissão acusa China de espionar EUA pela internet

Congressistas americanos dizem que chineses estão 'roubando informações sensíveis' a partir de redes nos EUA

Da BBC Brasil, BBC

20 Novembro 2008 | 17h36

Uma comissão do Congresso americano disse nesta quinta-feira, 20, que a China está praticando espionagem pela internet contra o governo e empresas dos Estados Unidos. Segundo o relatório anual da Comissão de Revisão sobre Segurança e Economia China-Estados Unidos, os chineses estão conseguindo ter um acesso cada vez maior a informações confidenciais a partir de redes de computadores dos Estados Unidos. "A China está roubando grandes volumes de informações sensíveis de redes de computadores americanos", disse o presidente da comissão, Larry Wortzel. Os congressistas da comissão afirmam que a China usa a internet para as atividades porque essa é uma forma mais barata de espionar do que os métodos tradicionais.    Além disso, de acordo com o relatório da comissão, geralmente é difícil descobrir o responsável pela invasão de redes de computadores. Vulnerabilidade Até o momento, as autoridades chinesas não comentaram as acusações da comissão. No entanto, ao responder a relatórios anteriores sobre o tema, autoridades em Pequim afirmaram que a China não tenta prejudicar os interesses de outros países e busca relações saudáveis com os Estados Unidos.   A comissão, composta por seis democratas e seis republicanos, foi criada pelo Congresso americano em 2000 com o objetivo de aconselhar, investigar e reportar questões relativas às relações entre China e Estados Unidos. Em seu relatório, a comissão afirmou que o governo e a economia dos Estados Unidos estão muito vulneráveis a ataques cibernéticos, já que ambos dependem fortemente de computadores e da internet. A comissão recomendou que os congressistas americanos forneçam fundos para programas do governo com o objetivo de monitorar e proteger informações sensíveis mantidas em redes de computadores.   BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.  

Mais conteúdo sobre:
China EUA espionagem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.