Conar libera campanha com Gisele Bündchen

O Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) decidiu hoje arquivar a representação movida contra a campanha da marca de lingerie Hope, estrelada pela modelo Gisele Bündchen. Os membros presentes à sessão do julgamento acompanharam o voto do relator do caso, que considerou que os estereótipos utilizados nas propagandas "são comuns à sociedade e facilmente identificados por ela, não desmerecendo a condição feminina".

FABIANA PIRES, Agência Estado

13 de outubro de 2011 | 21h07

A representação contra a campanha criada pela agência Giovanni+DraftFCB foi iniciada após o Conar receber denúncias de 40 consumidores e também da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, que argumentavam que a peça depreciava a figura da mulher. A ministra do órgão, Iriny Lopes, chegou a dizer que a propaganda estereotipa a mulher como um indivíduo que, para ter uma condição igualitária, ou não ser repreendida, precisa se valer do corpo. Ainda cabe recurso da decisão.

Mais conteúdo sobre:
propagandaGiseleConar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.