Concurso de feios é cancelado na Argentina após acusações de discriminação

Ministério da Justiça contatou organizadores quando soube que edição anterior premiara homem com lábio leporino.

Marcia Carmo, BBC

28 de setembro de 2010 | 05h33

A premiação do ano passado causou preocupação no governo

A sexta edição de um polêmico evento anual argentino que premia o casal mais feio foi cancelado após um órgão do governo argumentar que o concurso poderia estimular a discriminação.

A edição deste anos do "Baile dos Feios", marcada para o próximo dia 9 de setembro, seria realizada na província de Misiones, na fronteira com o Brasil, mas a notícia de que no ano passado os vencedores foram uma mulher de um metro e quarenta centímetros e um senhor com lábio leporino, chamou a atenção do Instituto Nacional contra a Discriminação a Xenofobia e o Racismo (INADI), ligado ao Ministério da Justiça.

"Ligamos para o prefeito da cidade de General Alvear, onde o concurso seria realizado este ano, e lhe explicamos que o encontro contribuía para gerar discriminação. Que classificar um problema de capacidade era um retrocesso em relação ao respeito às diferenças", disse à BBC Brasil o delegado do INADI em Misiones, Mariano Anton.

Anton afirmou que o prefeito entendeu a "recomendação" do INADI.

"Comentamos com o prefeito que o concurso parecia mostrar que uma pessoa seria 'feia' pelo o fato de ter alguma limitação ou problema", disse.

Avaliação

O Instituto, com sede em Buenos Aires e representações no interior do país, não tem o poder de proibição, mas sim de recomendação e costuma estar alerta aos casos de iniciativas que podem ser discriminatórias no país.

O prefeito de General Alvear, Victor Serdiuk, disse à imprensa local que o baile seria suspenso.

"Decidimos suspender o encontro porque devemos avaliar os motivos que levam alguns a pensarem que possa existir discriminação", afirmou, de acordo com o jornal Misiones on line.

O concurso seria realizado num salão da prefeitura e com apoio também do governo de Misiones. A cidade de General Alvear está a oitenta quilômetros da capital da província, Posadas.

Festa

No ano passado, o concurso foi realizado na cidade de Oberá e, segundo o organizador, o comunicador Antonio Escobar, da rádio Cristal, reuniu multidões do interior do país.

"Assim como existem concursos de reis e rainhas da primavera, pode existir o concurso dos feios. A eleição, como nos outros concursos de beleza, também é definida por um jurado e não vejo problema nisso, já que os feios são naturalmente excluídos quando a disputa é entre os bonitos", afirmou Escobar à emissora de televisão TN (Todo Notícias), de Buenos Aires.

A apresentadora mostrou-se indignada ao recordar que uma mulher de baixa estatura e um homem com lábio leporino foram eleitos no ano anterior.

"Mas não é discriminação. É uma festa onde participam camponeses, gente simples, que não tem acesso aos outros concursos. Gente que não tem acesso aos cremes e outros requisitos que ajudam na beleza!", disse Escobar.

Segundo ele, os participantes e o público chegam em caravanas porque entendem que é uma grande comemoração e com "fins solidários" já que o dinheiro arrecadado era destinado a fins beneficentes, como a compra de cadeiras de rodas.

O delegado do INADI disse que muitos têm problemas como o de lábio leporino, em Misiones, e que passariam a ser chamados de "feios", o que, segundo a imprensa local, já ocorre com o vencedor do concurso do ano passado.

"Não é preciso rir dos outros para fazer solidariedade. E pior, rir daqueles que já têm problemas", afirmou Mariano Anton.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
argentinafeiosmisiones

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.