Condição de médico de Nova York com Ebola melhora para 'estável'

Segundo a OMS, já foram registrados mais de 13 mil casos da doença e 4.922 mortes desde o início da epidemia, em março

Reuters e Efe

01 Novembro 2014 | 13h26

A condição do médico, Craig Spencer, que está sendo tratado por Ebola em Nova York, melhorou de "sério a estável" para "estável", disseram autoridades do Bellevue Hospital neste sábado, 1.

O doutor Spencer continua em isolamento no hospital, onde foi internado em 23 de outubro. Ele havia trabalhado com pacientes infectados pela doença na Guiné.

Balanço. A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou nesta semana um relatório informando que o número de vítimas do vírus do Ebola desde o início da epidemia, em março deste ano, chegou a 4.922, o que indica um número menor de mortos do que o anunciado anteriormente, que segundo a organização ocorreu porque foram "descartados os casos suspeitos".

Além disso, o relatório revela que a epidemia afetou 521 profissionais da saúde, dos quais 272 morreram.

O total de infectados já ultrapassou os 13 mil. Os países mais afetados são a Libéria, Serra Leoa e Guiné, que já registraram 13.676 casos de Ebola. São nestes países que a doença circula de maneira intensa e onde se concentram os esforços internacionais para controlar a epidemia.

Mais conteúdo sobre:
Ebola Craig Spencer

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.