Confederação da agricultura traz céticos do clima para SP

Confederação da agricultura traz céticos do clima para SP

A Confederação Nacional da Agricultura (CNA) convidou dois famosos céticos do clima, Patrick Michaels e Bjorn Lomborg (foto), para participar de um fórum sobre desenvolvimento agropecuário e aquecimento global. Os dois acreditam que a Terra esteja esquentando, mas não acham que a prioridade seja cortar as emissões de gases de efeito estufa. O foco, para eles, é investir em tecnologia verde - Lomborg sugeriu que 0,2% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial seja voltado para criar tecnologias de geração de energia limpa.

, O Estadao de S.Paulo

30 de março de 2010 | 00h00

O superintendente técnico da CNA, Moisés Gomes, concorda. "Ao aumentar a produtividade na pecuária e na agricultura, usamos menos áreas e reduzimos as emissões." Lomborg, porém, não quer que as pessoas deixem de se preocupar com as mudanças climáticas. "Antes havia um exagero de preocupação, mas também não queremos que as pessoas se preocupem de menos. O aquecimento global é real, mas não é o fim do mundo", disse.

Michaels disse que o IPCC, painel do clima da ONU que compila estudos sobre o tema, é desnecessário. "Na era da internet, para que ter IPCC?", afirmou ele, que admite ter feito consultoria para a indústria de petróleo e carvão.

CONSERVAÇÃO

Novos parques serão criados na Cantareira

Quatro novas unidades de conservação serão criadas hoje pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente de São Paulo. Duas delas são florestas estaduais na região da Serra da Cantareira (foto), uma em Atibaia e outra em Guarulhos. Serão criados também dois parques estaduais, nas serras de Itaberaba, que corresponde a uma área de 14.482 hectares, e de Itapetininga, onde 14.591 hectares passam a ser protegidos. Com as novas áreas, serão quase 30 mil hectares de Mata Atlântica adjacentes aos 7,9 mil hectares já existentes do Parque Estadual da Cantareira. Segundo a secretaria, as novas áreas garantirão a produção de água para a Região Metropolitana de São Paulo, abastecida pelo sistema Cantareira, além da conservação da biodiversidade. Um estudo da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) mostrou que as áreas escolhidas são importantes para proteção da fauna e flora.

AQUECIMENTO GLOBAL

Europa pode ter energia limpa até 2050

Juntas, Europa e África têm capacidade para produzir 100% de energia de fontes renováveis a preços competitivos antes de 2050, mostra estudo do Instituto Potsdam, da Alemanha, divulgado ontem. O instituto, especializado em pesquisas sobre o aquecimento global, propõe a criação de "uma rede pancontinental superinteligente", alimentada por painéis solares no norte da África, usinas hidrelétricas na Escandinávia e nos Alpes e centrais eólicas na Espanha e no Mar do Norte. O estudo mostra que a implementação de energias renováveis é comercialmente viável./AFRA BALAZINA e ANDREA VIALLI, com AFP

Faça a sua parte

Não jogue resíduos no vaso sanitário, pois isso causa entupimentos e sobrecarrega o sistema de tratamento de água e esgoto da cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.