Conferência da ONU no Rio atrai críticas

Há mais de dois meses de seu início, a conferência da ONU sobre desenvolvimento sustentável, a Rio+20, já atrai uma série de críticas. Em artigo publicado anteontem no Estado, o ex-secretário do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, Xico Graziano, afirmou que "a Rio+20 perdeu seu foco original, ligado à crise ecológica da civilização", para dar lugar a "dilemas elementares do crescimento - emprego, moradia, energia, transportes", por parte dos governos, e a "uma estratégia de combate à exclusão humana", no caso das ONGs.

O Estado de S.Paulo

05 Abril 2012 | 03h05

Desde o final do ano passado, diplomatas e autoridades dizem temer um "esvaziamento" da conferência. Além da questão do temor de fracasso político da conferência, consulados e embaixadas de diversas nações relataram apreensão em relação aos preparativos para o evento.

A Rio+20 já passou por mudança de data - de 28 de maio a 6 de junho para 13 a 22 de junho - por cauda da coincidência com as comemorações dos 60 anos de coroação da rainha Elizabeth II. O local também foi alterado: do Porto do Rio para o Riocentro, na Barra da Tijuca.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.