Confiança da indústria tem 3o maior nível, uso da capacidade cai

A confiança da indústria brasileira aumentou em maio e registrou o terceiro maior patamar da série histórica iniciada em 1995, segundo pesquisa da Fundação Getúlio Vargas (FGV), divulgada nesta segunda-feira.

REUTERS

31 de maio de 2010 | 08h14

A alta foi de 0,7 por cento sobre abril, para 116,1 pontos, com ajuste sazonal.

"O resultado revela que o mercado interno continua aquecido em maio. Em relação aos meses seguintes, as expectativas, que vinham se tornando menos otimistas nos dois meses anteriores, voltaram a melhorar, embora ainda estejam menos favoráveis que no início do ano", afirmou a FGV em nota.

O componente de situação atual caiu 0,7 por cento em maio, interrompendo 15 meses de alta. Já o de expectativas aumentou 2,7 por cento.

Das 1.199 empresas ouvidas, 40,5 por cento preveem aumentar a produção no período de maio a julho. Em abril, esse número era de 38,4 por cento.

A FGV informou ainda que o nível de utilização da capacidade instaladas diminuiu em maio para 84,9 por cento, contra 85,1 por cento em abril, com ajuste sazonal.

"O indicador atual supera a média registrada nos quatro primeiros meses deste ano (84,3 por cento) e a média desde 2003 (83 por cento), mas ainda encontra-se abaixo da média dos 12 meses anteriores à crise de setembro de 2008 (85,9 por cento)", disse a FGV.

(Reportagem de Vanessa Stelzer)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROFGCONFIANCA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.