Conflito contra o secularismo de Quebec

Natural do Quebec, no Canadá, o cardeal Marc Ouellet está entre os favoritos para suceder Bento XVI, mas já afirmou, em 2010, que "ser papa seria um pesadelo". Aos 68 anos, é prefeito da Congregação para os Bispos e o responsável pela Pontifícia Comissão para a América Latina, órgão da Cúria Romana que estuda os problemas relativos à vida e ao desenvolvimento da Igreja na América Latina. Por causa desse trabalho, tem um bom trânsito entre os cardeais do continente.

O Estado de S.Paulo

12 de março de 2013 | 02h03

Ouellet foi arcebispo da Província de Quebec de 2002 a 2010 durante uma época turbulenta, em que as posições inflexíveis do Vaticano geralmente iam contra o secularismo do Quebec. Na ocasião, Ouellet provocou polêmica ao se posicionar contra o casamento de homossexuais e o aborto, até mesmo em casos de estupro.

A imprensa canadense o apelidou de "o cardeal mãos de ferro". Por conta disso, estabeleceu uma relação de confiança com Bento XVI. "É o único cardeal que se encontra com o papa quase todas as semanas", afirmou o arcebispo emérito de Montreal, Jean-Claud Turcotte,

É poliglota - fala francês, inglês, espanhol, português, alemão e italiano. É um homem discreto, pouco afeito a multidões e com perfil pouco midiático. /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.