Conflito em Mianmar leva até 30 mil civis a fugirem para a China

Um confronto entre as forças de Mianmar e um grupo étnico armado no nordeste do país forçou dezenas de milhares de pessoas a atravessar a fronteira para a China, afirmaram ativistas e a mídia na sexta-feira.

CHRIS BUCKLEY, REUTERS

28 Agosto 2009 | 16h33

A China pediu para que Mianmar mantenha a estabilidade na região da fronteira. O Alto Comissariado da Organização das Nações Unidas (ONU) para Refugiados estimou que entre 10 mil e 30 mil civis tenham fugido do conflito.

"Também pedimos que Mianmar proteja a segurança e os direitos legais dos cidadãos chineses em Mianmar," disse o comunicado da porta-voz Jiang Yu, no site do ministério (www.fmprc.gov.cn).

O confronto pode aumentar a tensão entre a China e Mianmar, cuja junta militar considera Pequim como um dos poucos apoios diplomáticos e fonte crucial de investimento.

Milhares de pessoas fugiram este mês de Kokang, no estado birmanês de Shan, após os confrontos na região, que, de acordo com um grupo de direitos humanos com base nos EUA, seguiu-se à mobilização de tropas na área, que abriga um grande número de chineses étnicos.

Mais conteúdo sobre:
MIANMARCONFRONTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.