Confronto com forças dos EUA mata 13 xiitas em Bagdá

Presidente americano aceita recomendação de comandante sobre total de tropas no país.

Da BBC Brasil, BBC

12 de abril de 2008 | 14h00

Um confronto entre soldados americanos e iraquianos contra militantes xiitas fortemente armados em Bagdá deixou pelo menos 13 mortos neste sábado, segundo informações do comando militar dos Estados Unidos.Os tiroteios aconteceram no bairro xiita de Cidade Sadr, na zona leste da capital iraquiana. Em nota, os militares americanos classificaram o combate no bairro - um conhecido reduto de simpatizantes do clérigo radical xiita Moqtada Al Sadr - de "complexo". Apesar da violência, neste sábado as autoridades suspenderam um bloqueio à área que já durava duas semanas. Agora, veículos estão sendo autorizados a atravessar alguns cruzamentos, embora outras ruas ao redor da Cidade Sadr continuem fechadas.Moradores do local afirmaram que os conflitos deste sábado foram os piores já registrados desde que as forças iraquianas começaram a incursão na área, na semana passada. 'Situação estável'Tanques e aviões deram apoio às tropas envolvidas na batalha pela Cidade Sadr."Nenhum soldado americano ou iraquiano ficou seriamente ferido e conseguimos completar a nossa missão", afirmou o major John Gossart, oficial do batalhão que participou da operação. Apesar da violência no bairro xiita, o porta-voz do governo do Iraque para assuntos de segurança em Bagdá, general Qassim Moussawi, disse que a situação está estável e que os confrontos não iriam interferir nos planos de suspensão do bloqueio. Na cidade de Najaf, foi baixado toque de recolher depois da morte de um aliado próximo a Moqtada Al Sadr. O clérigo culpou a "ocupação" pela morte de Riyad al-Nuri, assassinado a tiros depois das orações de sexta-feira. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.