Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Confrontos voltam a assustar o bairro da Tijuca durante a madrugada

Moradores do asfalto e das favelas da Tijuca, na zona norte do Rio, tiveram ontem outra madrugada marcada por tiroteios. Dois confrontos aumentaram a tensão na área, cenário de uma disputa de quadrilhas desde terça-feira. Pelo menos três pessoas morreram até ontem, em consequência da guerra entre bandidos.

Alexandre Rodrigues, O Estadao de S.Paulo

21 de novembro de 2009 | 00h00

Enquanto a Polícia Militar reforçava o patrulhamento nos acessos ao Morro da Formiga, que teria sido invadido por rivais do vizinho Morro da Casa Branca no início da semana, um novo confronto entre bandidos rivais aconteceu em uma área não patrulhada. A polícia acredita que traficantes do Morro do Borel, também na Tijuca, tenham tentado invadir o Casa Branca para vingar os aliados do Formiga. O tiroteio assustou moradores das favelas, levando muitos a abandonar as casas. Habitantes de prédios no asfalto temiam balas perdidas. Desde o início do conflito, vários prédios foram atingidos.

Em outro confronto na madrugada de ontem, entre policiais e traficantes, um homem morreu e dois foram presos. Eles foram detidos num dos acesos ao Morro da Formiga com um bando em uma moto e quatro carros roubados. Houve troca de tiros e, na fuga, dois veículos bateram. Além de matar um dos ocupantes, os policiais dizem ter baleado outros dois, que conseguiram fugir.

A polícia suspeita que o grupo era formado por bandidos do Morro de São Carlos, no Estácio, que estariam levando armas e comida para os invasores do Formiga. Foram apreendidos um revólver 38 e munição. Na tarde de quinta-feira, a polícia encontrou o corpo de um homem numa lixeira da favela.

INTERDIÇÃO

Em Duque de Caxias (Baixada Fluminense), moradores da Favela Beira-Mar interditaram por quase meia hora a Rodovia Washington Luís em protesto contra a morte de um homem em ação policial. A rodovia liga o Rio a Petrópolis e o engarrafamento atrasou a viagem de quem foi passar o feriado na serra. A PM alegou que foi verificar uma denúncia e reagiu ao ser recebida a tiros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.