Congonhas começa a registrar atrasos nos vôos

No final da tarde de hoje foram registrados os primeiros atrasos de vôo acima de uma hora no Aeroporto de Congonhas, na capital paulista, depois de um dia bastante tranqüilo, ao final do feriado prolongado de 7 de Setembro. De acordo com a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), das 16 às 17 horas, dois vôos sofreram atraso, um porcentual ainda baixo (1,4%) se comparado com o total de decolagens e aterrissagens previstas (139). No mesmo aeroporto, um número maior de vôos foi cancelado até as 17 horas: 31, ou 22,3% do total. Este porcentual elevado de cancelamento foi verificado ao longo de todo o domingo.Já no Franco Montoro, conhecido como Aeroporto Internacional de Guarulhos, a situação esteve um pouco pior durante todo o dia em relação a atrasos, e melhor na comparação com o total de viagens canceladas. Até as 17 horas, segundo a Infraero, 30 dos 154 vôos estavam atrasados (19,50%), enquanto sete (4,5%) foram cancelados.Em todo o País, nesse mesmo período, do total de 1043 vôos programados, 96 (9,2%) foram cancelados e 79 (7,6%) registraram atrasos de mais de uma hora. No Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, do total de 24 vôos previstos, quatro (16,7%) foram cancelados e não houve atraso superior a uma hora. No Aeroporto do Galeão, também no Rio, do total de 98 vôos programados, sete (7,1%) foram cancelados e 12 (12,2%) registraram atrasos de mais de uma hora.CuriosidadeHá uma curiosidade entre os dados da Infraero sobre os atrasos: em Campina Grande, na Paraíba, o único vôo previsto até as 17 horas estava atrasado em mais de uma hora, o que levou o porcentual do aeroporto da cidade a registrar a marca de 100%. Com exceção deste caso, o município que registra o maior porcentual de atrasos em relação ao total de vôos previstos é Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. Isto porque três dos 14 vôos previstos (21,4%) registravam demora superior a uma hora. Apenas uma viagem foi cancelada (7,1%) na cidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.