Congonhas e Cumbica operam sem o uso de aparelhos

Os aeroportos de Congonhas, na zona sul de São Paulo, e Internacional Governador André Franco Montoro, em Cumbica, Guarulhos, já funcionam sem o auxílio de instrumentos. De acordo com a assessoria de imprensa da Infraero, em Congonhas, pousos e decolagens passaram a ser visuais a partir das 10h24. Hoje, quarto dia seguido da semana em que a pista principal só passou a funcionar mais tarde devido às obras do grooving e também em razão das más condições de visibilidade, o Aeroporto de Congonhas surpreendeu pela grande quantidade de vôos atrasados e cancelados em comparação à calmaria dos últimos dias. Dos 87 vôos programados entre 6 horas e 11 horas, 23 tiveram atrasos superiores a uma hora. Além disso, outros 13 foram cancelados.Já em Cumbica, as aterrissagens e decolagens começaram ser feitas de forma visual às 10 horas. Numa comparação com Congonhas, a situação em Guarulhos é bem melhor, de acordo com os próprios números informados pela Infraero. Desde zero hora, quando o aeroporto abriu, até 11 horas, dos 99 vôos previstos, oito atrasaram mais do que uma hora e apenas quatro acabaram sendo cancelados.

PAULO R. ZULINO, Agencia Estado

17 de agosto de 2007 | 11h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.