Conselho de Medicina investiga morte de bebês no RS

UTI neonatal do Hospital de Caridade de Canguçu foi interditada depois que 12 crianças morreram

Elder Ogliari - Agência Estado,

12 Março 2012 | 19h06

PORTO ALEGRE - O Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul (Cremers) abriu nesta segunda-feira, 12, uma sindicância para apurar a morte de bebês na UTI Neonatal do Hospital de Caridade de Canguçu, no sul do Estado.

Inaugurado no final do ano passado, o serviço funcionou por apenas três meses, até ser interditado pela Secretaria Estadual de Saúde no final de fevereiro, depois da constatação de que 12 das 45 crianças nascidas no local morreram, uma taxa seis vezes maior que a média estadual em unidades similares.

O Ministério Público também investiga o caso. Como não há registro de epidemias, as apurações devem apontar se houve falhas no atendimento, se havia poucos profissionais habilitados, se os equipamentos utilizados eram adequados e suficientes e se havia boas condições sanitárias na UTI.

Mais conteúdo sobre:
saúdemortebebê

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.