Conserva de ovos dá 50% mais lucro

Atividade é indicada para pequenos criadores, que podem investir em fábrica na propriedade e beneficiar produção

O Estado de S.Paulo

19 Julho 2007 | 06h31

O zootecnista Eduardo Brognoni desenvolveu uma proposta de criação de codornas em pequena escala para produção e comercialização de ovos. Brognoni explica que, com o grande aumento do plantel no Brasil, é essencial que o futuro criador faça, primeiro, uma pesquisa de mercado completa. "Assim dá para dimensionar o investimento de acordo com a possibilidade de venda, com o mínimo de risco." Além do planejamento, o zootecnista recomenda montar primeiro uma criação de teste, para aprender e ajustar o manejo, e só depois buscar lucratividade. "Um número mínimo para um bom retorno financeiro seria de 3.000 a 5.000 aves", ensina. "Porém, o criador que está começando deve optar inicialmente por um plantel de 1.000 aves, para conhecer a atividade e aprender suas características." O criador Willian Fujikura avalia que uma criação com 1.000 a 2.000 aves pode ser tocada por apenas um funcionário. "A codorna é uma ave de grande rusticidade, que ocupa pouco espaço e é muito fácil de criar", justifica. MERCADO DE OVOS O produtor Fujikura alerta que a venda para grandes redes de supermercados, em geral, é difícil para o pequeno criador, devido à concorrência e à exigência de certificações. A solução, diz, é a união dos produtores para a criação de entrepostos comerciais certificados pelo Ministério da Agricultura. "Quem não tem certificação pode vender para pequenos mercados, feiras e quitandas." VALOR AGREGADO Fujikura conta que os produtores conseguem agregar valor fazendo ovo em conserva na propriedade. "Hoje, mais de 80% dos produtores da região da grande São Paulo colhem, descascam, preparam e levam seus produtos diretamente para restaurantes e churrascarias. O produtor monta uma pequena fábrica de beneficiamento na propriedade." Os resultados da pesquisa de Brognoni mostram que o criador pode conseguir lucro até 50% maior do que com a venda do ovo in natura. ESTERCO Em alguns períodos do ano o esterco pode dar lucro até maior do que o dos ovos. Por ser um material rico em nitrogênio, fósforo e outros minerais, pode ser usado na agricultura de maneira geral, desde que bem curtido. Recomenda-se a venda como adubo para hortaliças ou ensacado como matéria orgânica para o pomar. O preço do esterco puro varia de R$ 60 a R$ 110 a tonelada. L.G. Dicas Plantel - A recomendação é começar com pelo menos 500 aves e no máximo 1000 aves. Planejamento - Elabore um projeto de produção. União - Forme cooperativas de produtores. Capacitação - Participe de cursos e treinamentos e visite produtores com experiência. Marketing - Venda a imagem de sua granja aliada a um produto completo, sadio e de baixo custo. Promova degustações em pontos de venda, estimulando a compra do produto, principalmente entre as crianças. Manejo - O fornecimento de ração e a limpeza devem ser feitos preferencialmente pela manhã e a coleta de ovos, duas vezes ao dia. Não se deve alterar horários e pessoas bruscamente, pois as aves costumam se estressar e reduzir a postura.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.