Contaminação em rio na China gera alerta na Rússia

Autoridades russas estão em alerta pelo vazamento de benzeno de uma indústria química chinesa, que poderá contaminar o Rio Amur, fronteira natural entre os dois países. "Devido à contaminação do Rio Sungari (ou Songhua, em chinês, afluente do Amur), intensificaremos o controle sobre o estado das águas do rio", garantiu Oleg Mitvol, chefe da agência ambiental russa, citado pela agência Interfax.Mitvol acrescentou que, de acordo com os primeiros dados, a mancha de benzeno - substância inflamável e altamente tóxica - cobre uma superfície de 2,5 km, segue rio abaixo e desembocará no Amur dentro de cerca de 20 dias. De acordo com a imprensa chinesa, uma indústria química da cidade de Jilin derramou, no domingo, o benzeno no rio.O coordenador do programa de contaminação do Greenpeace na Rússia, Alexei Kiseliov, denunciou que "todos os rios chineses estão contaminados, já que a indústria do país se desenvolve muito rapidamente, mas as autoridades prestam pouca atenção amo meio ambiente".De acordo com especialistas russos, a contaminação do Amur representa grave impacto ambiental: ao longo do rio vivem seis milhões de russos e, do outro lado da fronteira, 67 milhões de chineses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.