Contaminação por HIV cresce; acesso a tratamento, também

Um número estimado em 39,5 milhões de pessoas vivem atualmente com o vírus da aids no mundo. As taxas de infecção e morte pela doença seguem aumentando, informa relatório das Nações Unidas. Cerca de 2,9 milhões de pessoas morreram neste ano de aids ou doenças relacionadas e outras 4,3 milhões foram infectadas pelo HIV, de acordo com a ONU. A disseminação é mais pronunciada no Leste da Ásia, Europa Oriental e Ásia Central."O relatório deste ano nos dá um motivo real de preocupação", diz o chefe da agência das nações Unidas para o combate á aids, Unaids, Peter Piot. "A epidemia global cresce em todas as áreas". A cada oito segundos, alguém, em algum lugar da Terra, é infectado, acrescentou.A aids já matou mais de 25 milhões de pessoas desde que o primeiro caso foi relatado em 1981, tornando-se uma das doenças mais letais da história.Piot disse que são particularmente preocupantes os dados sobre ressurgências do mal em países que vinham mostrando avanço na contenção da doença, como Uganda, Tailândia e EUA.Todas as regiões do planeta assistiram a um aumento no número de pessoas vivendo com o vírus letal nos últimos dois anos. Em alguns países, isso se deve ao maior acesso ao tratamento, que mantém as pessoas vivas por mais tempo.Nunca antes houve tantas mulheres infectadas pelo HIV. Há 17,7 milhões de mulheres carregando o vírus no mundo, um aumento de mais de 1 milhão em comparação com dois anos atrás.

Agencia Estado,

21 de novembro de 2006 | 18h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.