Contra estiagem, Bahia quer 'fabricar' chuva

O governo baiano pretende "fabricar" chuva para amenizar os efeitos da prolongada estiagem, que deixa mais da metade dos 417 municípios em situação de emergência e afeta 2,7 milhões de pessoas. Segundo a Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola, os prejuízos causados pela seca, considerada a maior no Estado nos últimos 47 anos, ultrapassam R$ 100 milhões.

O Estado de S.Paulo

17 Maio 2012 | 07h50

A Secretaria de Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária está finalizando os estudos para o início da operação nas áreas mais castigadas pela seca: Irecê, na Chapada Diamantina, e Vitória da Conquista, no sudoeste baiano. A tecnologia consiste em pulverizar, usando aviões, água potável em nuvens da regiões, tornando-as mais densas e propensas à precipitação. / TIAGO DÉCIMO

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.