Contra morte de militante, MST protesta na Syngenta

Após confronto com seguranças da multinacional, Valmir Mota de Oliveira foi morto

BRÁS HENRIQUE, Agencia Estado

30 de outubro de 2007 | 16h44

Mais de 100 militantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) fizeram um protesto hoje em frente ao prédio onde está instalado um escritório da multinacional Syngenta Seeds, em Ribeirão Preto, no interior paulista. Durante pouco mais de duas horas, de forma pacífica e vigiado pela Polícia Militar (PM), o grupo protestou contra a morte de militante da Via Campesina, Valmir Mota de Oliveira, ocorrida no interior do Paraná em 21 de outubro. O segurança Fábio Ferreira também morreu no confronto."Essa é uma denúncia contra o assassinato do nosso companheiro", disse o advogado do MST, Paulo Freire. O grupo apresentou faixas e cartazes, além de frases de protesto. A manifestação integra a campanha do MST "Fora Syngenta do Brasil", segundo a diretora estadual do movimento, Kelli Mafort. O prédio com o escritório da multinacional suíça fica dentro da área de um shopping center.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.