Contra pedofilia, MP quer abrir 3,2 mil álbuns do Orkut

Encerra-se amanhã o prazo para o Google revelar quais dos 3.261 álbuns de fotografia fechados do site de relacionamento Orkut, denunciados à Organização Não-Governamental SaferNet Brasil, contêm imagens de pornografia infantil. A exigência foi feita pelo Grupo de Combate a Crimes Cibernéticos do Ministério Público Federal em São Paulo. Segundo o MPF, a notificação foi enviada ao presidente da empresa no País, Alexandre Hohagen. Caso a Google não atenda à notificação, o ministério poderá responsabilizá-la civil e criminalmenteDe acordo o MPF, um novo recurso de privacidade do Orkut impede o acesso do órgão e da polícia aos álbuns, garantindo assim a impunidade dos possíveis pedófilos. O MPF informou que, na maioria das vezes, tais álbuns estão em perfis falsos criados para a divulgação das fotografias. Após as denúncias, diversos perfis são removidos pela Google, mas o MPF quer assegurar que a materialidade do crime seja preservada para a punição dos responsáveis. Em 1º de abril, a procuradora da República Fernanda Teixeira Souza Domingos Taubemblatt notificou a Google para a preservação das cerca de 100 mil páginas denunciadas pela ONG entre 2006 e 2008 e para saber quais deles reuniam indícios de crimes ou violação de direitos humanos e fundamentais. Outra exigência é a apresentação de quantos e quais casos de pornografia infantil foram reportados ao órgão americano National Center for Missing and Exploited Children. Amanhã, o Google e os coordenadores do Grupo de Combate a Crimes Cibernéticos, os procuradores Sergio Gardenghi Suiama e Luiz Fernando Gaspar Costa, deverão depor à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pedofilia, no Senado.

ELVIS PEREIRA, Agencia Estado

08 de abril de 2008 | 20h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.