Contra subornos, Nepal proíbe bolsos em funcionários de aeroporto

Aeroporto internacional da capital do país registrou aumento de reclamações.

BBC Brasil, BBC

30 Junho 2009 | 18h51

As autoridades do Nepal vão obrigar os funcionários do Aeroporto Internacional de Katmandu, o principal do país, a usarem calças de uniforme sem bolsos para tentar acabar com a prática de subornos no local.

A medida foi anunciada pela Comissão para Investigação de Abuso de Autoridade do país depois que o primeiro-ministro afirmou que a corrupção está prejudicando a imagem do aeroporto.

A Comissão baseou sua decisão em um número cada vez maior de reclamações contra os funcionários. Além de acusados de aceitar subornos, eles são suspeitos de roubos de objetos da bagagem de alguns passageiros.

A Sessão Nepalesa do Serviço Mundial da BBC informou que estes incidentes atingem mais os viajantes nepaleses do que os turistas estrangeiros.

Objetos pessoais

A Comissão disse ter enviado uma equipe ao aeroporto para "observar (o motivo) das crescentes reclamações a respeito do comportamento das autoridades do aeroporto e dos funcionários em relação aos viajantes".

Ishwori Prasad Paudyal, um porta-voz do órgão, disse ao repórter Keith Adams, da BBC, que câmeras e telefones celulares estavam desaparecendo na área de checagem de bagagens.

Paudyal afirmou que a nova diretriz já foi enviada ao Ministério dos Transportes e ele espera que as novas calças sem bolsos sejam usadas em breve no aeroporto.

De acordo com Keith Adams, talvez a proibição dos bolsos de calças vá dificultar a corrupção, já que fica difícil esconder o produto de suborno nas meias ou debaixo do chapéu sem parecer suspeito.

No entanto, Adams lembra que o porta-voz da Comissão para Investigação de Abuso de Autoridade não deu nenhuma sugestão sobre como os funcionários do aeroporto levariam seus objetos pessoais, como carteiras, chaves e cigarros, em uma calça sem bolsos.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.