Cooler e vinho de uva e vários tipos de doces de goiaba

Três vezes por semana, o agricultor Mario Scabelo, o "Tio Mario", antes mesmo de o sol nascer, coordena o escoamento para as centrais de abastecimento da colheita, tirada de 20 mil pés de uva, 1.500 de goiaba e 1.200 de maracujá. Sem contar "alguma coisinha" de feijão, milho verde, legumes e hortaliças. A expressão "Tio Mario" é registrada, patenteada e batiza o vinho, além dos cooler de frutas, sucos e licores.

Rose Mary de Souza, O Estado de S.Paulo

05 Agosto 2009 | 03h41

 

Veja também:

linkCircuito das Frutas paulista melhora renda do produtor

Na estrada, entre os Bairros Macuco e Reforma Agrária, entre Valinhos e Vinhedo, as placas de sinalização conduzem o visitante à Adega Tio Mario, que recebe turistas. Os cachos de uva que não passam no controle de qualidade para consumo de mesa são separados e secos. "Depois de murchas, as uvas se soltam sozinhas do cacho. Aí tiramos o cabinho verde e moemos tudo", diz Mario.

COOLER E VINHOS

Entre dezembro e janeiro, pico da safra, cada moagem rende 800 garrafas de cooler. Para um vinho mais encorpado, ele busca uvas nas cidades vinícolas da Região Sul do País. Para o vinho branco e rosado, bastam as frutas da propriedade.

Já na propriedade da produtora Erika Kusakariba, também no Circuito das Frutas, a goiaba vira vários tipos doce: goiabada cascão, compota, goiabada cremosa, geleia e bolachinhas recheadas. "A fruta batida, picada por pássaros ou madura demais que não ganha preço no mercado era desprezada, mas hoje é 100% aproveitada", afirma Erika. A propriedade produz 80 mil caixas de 2,5 quilos por ano de goiaba branca e vermelha.

linkINFORMAÇÕES:

Fazenda Luiz Gonzaga, tel. (0--19) 3878-2425;

Tio Mario, (0--19) 3881-1319

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.