Copom cortará Selic em 2 pontos até dezembro, mostra Focus

Expectativa para o fim do ano é de de inflação menor e de recuo na expansão econômica, com PIB de 1,8%

RENATO ANDRADE, REUTERS

02 de fevereiro de 2009 | 08h54

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central deve cortar a taxa básica de juro brasileira em mais dois pontos percentuais até dezembro, diante de um cenário de inflação sob controle e crescimento econômico reduzido, mostrou pesquisa divulgada nesta segunda-feira. De acordo com o levantamento semanal feito pelo BC com analistas e empresários no país, as projeções indicam que a taxa Selic deve continuar sendo reduzida ao longo dos próximos meses até atingir o patamar de 10,75%em dezembro.  Veja também De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise Em janeiro, o Copom fez o primeiro corte da taxa desde setembro de 2007, reduzindo a Selic em 1 ponto percentual, para 12,75% ao ano. A estimativa para dezembro está 0,25 ponto percentual menor do que a indicada na pesquisa anterior. O ciclo de corte do juro deve se estender até 2010, quando os analistas apostam que a taxa encerrará o ano em 10,50%. A próxima reunião do Copom acontece em 10 e 11 de março. Analistas estão divididos entre um corte de 0,75 ponto ou de 1 ponto percentual. O cenário traçado pelo mercado para o comportamento do juro leva em conta uma perspectiva de inflação sob controle e crescimento econômico baixo. InflaçãoPara a inflação, a estimativa para a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2009 caiu para 4,60 por cento ante 4,64% na pesquisa anterior. Para 2010, a projeção continua apontando uma alta de 4,50%. A meta de inflação definida pelo governo para os dois anos é de 4,50 por cento, com margem de variação de 2 pontos percentuais, para cima ou para baixo.   PIB e câmbioEm termos de crescimento, os cálculos dos analistas consultados pelo BC apontam para uma expansão de 1,80% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2009, seguida por um avanço de 3,80% em 2010. Até semana passada, os analistas acreditavam que a economia brasileira cresceria 2% em 2009. O cenário traçado para a taxa de câmbio continua estável. As apostas indicam que o dólar deve encerrar o ano valendo 2,30 reais. Para 2010, a projeção é que a moeda norte-americana estará valendo 2,29 reais em dezembro.

Tudo o que sabemos sobre:
BACENPROJECOESFOCUSATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.