Coreia do Norte emite aviso para possível teste de míssil, diz jornal

Pyongyang proibiu a navegação em uma zona do Mar Amarelo entre 19 e 27 junho, segundo jornal de Seul

REUTERS

24 de junho de 2010 | 21h28

A Coreia do Norte emitiu um alerta contra navegações na costa oeste da península coreana, no que pode ser a preparação para o lançamento de um míssil, informou um jornal sul-coreano na sexta-feira, 25 (horário local).    

 

Veja também:

linkEUA pressionam Coreia do Norte a libertar americano e não politizar seu caso

As tensões entre as duas Coreias aumentaram desde que o Sul culpou o Norte de atacar um de seus navios de guerra em março, matando 46 marinheiros. O Norte nega envolvimento no incidente, dizendo que a acusação é uma manobra política fabricada.

"A Coreia do Norte designou uma área do noroeste (do Mar Amarelo) como uma zona de não navegação entre 19 e 27 de junho", disse uma autoridade do governo citada pelo jornal JoongAng Ilbo.

"Esta pode ser uma medida objetivando o lançamento de um míssil de curto alcance", disse a autoridade.  

O Ministro Naval sul-coreano, que monitora alarmes de navegação registrados na Organização Marítima Internacional, afirmou que não estava ciente de uma medida como essa que tenha entrado em vigor.

 

A reportagem desencadeou um rali nos estoques de defesa sul-coreanos. As vendas da Victek, fabricante de peças de equipamentos militares, aumentaram cerca de 5% e as da Huneed Technology, empresa que fabrica equipamentos de comunicação wireless para fins militares, aumentaram 1,6%.

 

Segundo analistas, as atitudes do governo comunista têm como objetivo impulsionar a política de Kim Jong-il e também são movimentos militares para que o país consiga uma melhor posição de barganha, já que as potências regionais tentam trazer Pyongyang de volta à mesa de negociações nucleares.

A Coreia do Norte já realizou testes de lançamento com vários mísseis no ano passado, incluindo um balístico de longo alcance, ignorando pedidos de Seul e dos Estados Unidos para interrompê-los.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.