Corpo de bióloga que morreu afogada é enterrado no Rio

A bióloga Regina Célia Gonçalves Peralta, de 47 anos, que morreu afogada no sábado, 31, foi enterrada às 10 horas da manhã desta segunda-feira, no Cemitério de Inhaúma, na zona norte do Rio de Janeiro. Segundo a assessoria de imprensa do cemitério, a causa da morte da bióloga foi afogamento, enquanto mergulhava próximo da Ilha dos Porcos, em Arraial do Cabo, Região dos Lagos fluminense.

GHEISA LESSA, Agência Estado

02 Abril 2012 | 14h07

De acordo com a delegada titular do 132ª DP, Cláudia Faissal, onde o caso foi registrado, Regina estava com um grupo de colegas de trabalho, com 10 alunos e dois instrutores. Eles teriam mergulhado e quando voltaram à superfície, sentiram falta da bióloga.

Conforme os depoimentos, os instrutores localizaram Regina, que ainda estava inconsciente, e teriam tentado reanimá-la, mas não conseguiram. Faissal afirma que a bióloga faleceu no local, por volta das 11 horas da manhã.

A delegada titular afirma que o caso segue sob investigação. Serão ouvidos os instrutores e mergulhadores que acompanhavam o mergulho, para definir se o motivo do afogamento foi resultado da imperícia de algum dos instrutores.

Mais conteúdo sobre:
mortebiólogaafogamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.