Corpo de bióloga que morreu afogada é enterrado no Rio

A bióloga Regina Célia Gonçalves Peralta, de 47 anos, que morreu afogada no sábado, 31, foi enterrada às 10 horas da manhã desta segunda-feira, no Cemitério de Inhaúma, na zona norte do Rio de Janeiro. Segundo a assessoria de imprensa do cemitério, a causa da morte da bióloga foi afogamento, enquanto mergulhava próximo da Ilha dos Porcos, em Arraial do Cabo, Região dos Lagos fluminense.

GHEISA LESSA, Agência Estado

02 de abril de 2012 | 14h07

De acordo com a delegada titular do 132ª DP, Cláudia Faissal, onde o caso foi registrado, Regina estava com um grupo de colegas de trabalho, com 10 alunos e dois instrutores. Eles teriam mergulhado e quando voltaram à superfície, sentiram falta da bióloga.

Conforme os depoimentos, os instrutores localizaram Regina, que ainda estava inconsciente, e teriam tentado reanimá-la, mas não conseguiram. Faissal afirma que a bióloga faleceu no local, por volta das 11 horas da manhã.

A delegada titular afirma que o caso segue sob investigação. Serão ouvidos os instrutores e mergulhadores que acompanhavam o mergulho, para definir se o motivo do afogamento foi resultado da imperícia de algum dos instrutores.

Mais conteúdo sobre:
mortebiólogaafogamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.