Corpo de dançarino é sepultado sob aplausos no Rio

Cerca de 500 pessoas acompanharam o enterro do dançarino Douglas Rafael da Silva Pereira, o DG, de 26 anos, no cemitério São João Batista, em Botafogo, na zona sul do Rio. Ele foi sepultado sob aplausos, queima de fogos de artifício e gritos de "Justiça", "Polícia assassina" e "Fora UPP".

THAISE CONSTÂNCIO, Agência Estado

24 Abril 2014 | 16h45

Grávida de oito meses, Jaqueline Cristina Fernandes, uma das irmãs mais velhas de DG, desmaiou e foi socorrida em um corredor do cemitério. O irmão mais novo do dançarino, Leonardo Pereira, de 19 anos, também estava muito abalado e foi retirado de perto do túmulo pelo pai, o pintor Paulo César Calazans Pereira, de 50 anos. "Você tem noção da dor que eu estou sentindo aqui dentro? É um buraco enorme. Eles humilharam o meu irmão", disse Leonardo, chorando.

Mais conteúdo sobre:
dançarino morte Rio enterro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.