Corpo de recém-nascida morta some em hospital do Rio

O Hospital das Clínicas de Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro, registrou hoje o desaparecimento do corpo de uma recém-nascida de seu necrotério. Segundo a direção da unidade, o fato foi comunicado à polícia e uma sindicância interna foi aberta para apurar o incidente.

AE, Agência Estado

02 de outubro de 2011 | 17h08

A criança havia nascido prematura no dia 21 de setembro, após 30 semanas de gestação e pesando apenas 490 gramas. De acordo com o hospital, o bebê ficou internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal por seis dias antes de morrer, no dia 27. Dois dias depois, o corpo desapareceu do necrotério.

A direção do hospital afirmou que, "além de lamentar profundamente o ocorrido, se solidariza com a família". A unidade se compromete a esclarecer os fatos e punir os envolvidos, além de instalar câmeras de monitoramento no corredor do necrotério. O acesso ao setor já é de acesso restrito, segundo a direção.

"Em 20 anos de história de prestação de serviços à saúde, o HCN nunca registrou nenhum fato semelhante, pois, além do extremo compromisso com a vida humana, o hospital tem um grande respeito pela finitude da vida, quando esta ocorre", diz a nota divulgada pelo hospital. O resultado da sindicância interna aberta pela direção deve ser apresentado em até 15 dias. O caso foi registrado na 76ª Delegacia de Polícia, en Niterói.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.