Corpo de refém morto é enterrado em Niterói-RJ

O corpo do supervisor de vendas Aloysio Mattos Martins Júnior, de 45 anos, morto a tiros por policiais militares depois de ter o carro roubado, foi enterrado hoje em Niterói, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. O comandante do 22º BPM (Maré), tenente-coronel Gláucio Moreira, que instaurou Inquérito Policial Militar (IPM) para apurar a morte, disse que já conversou com os militares responsáveis pelos disparos contra o veículo em que a vítima era mantida como refém.

TIAGO ROGERO, Agência Estado

21 Junho 2011 | 19h08

Segundo ele, os PMs confirmaram a versão inicial, de que os tiros foram para revidar o ataque dos criminosos à viatura durante perseguição policial. Os suspeitos furaram uma blitz montada para impedir a fuga de traficantes do Morro da Mangueira, na zona norte do Rio, ocupado para a instalação de uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP).

O delegado que investiga o caso, Aguinaldo Ribeiro, da 21ª DP (Bonsucesso), disse que dois suspeitos de participação no crime continuam foragidos. Um terceiro, de 19 anos, continua internado, sob custódia, no Hospital Federal de Bonsucesso.

Mais conteúdo sobre:
morte refém enterro Niterói

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.