Corpo do cantor chileno Victor Jara é exumado para investigação

Agentes policiais e do Serviço Médico-Legal chileno iniciaram nesta quinta-feira a exumação dos restos mortais do popular cantor e compositor chileno Victor Jara, como parte de uma investigação que procura esclarecer seu assassinato, ocorrido poucos dias após o golpe de Estado do general Augusto Pinochet.

REUTERS

04 de junho de 2009 | 14h48

Jara morreu crivado de balas em meados de setembro de 1973 no estádio de futebol Chile, em Santiago, que depois do golpe militar foi usado como centro de detenção e tortura.

A diligência foi ordenada pelo juiz Juan Fuentes.

Os restos mortais de Jara, cujo assassinato se converteu em um dos símbolos contra a ditadura de Pinochet (1973-1990), estão no Cemitério Geral de Santiago.

Pinochet morreu em dezembro de 2006, aos 91 anos de idade, sem ter sido condenado pelos cerca de 3 mil mortos -- muitos de cujos corpos permanecem desaparecidos -- e 28 mil torturados e vítimas da ditadura.

Mais conteúdo sobre:
CHILEJARACORPOEXUMADO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.