Correa declara vitória em eleição de Constituinte

Pesquisas indicam que partido de presidente terá maioria em Assembléia.

Carlos Chirinos, BBC

01 de outubro de 2007 | 15h42

O presidente equatoriano, Rafael Correa, se declarou vitorioso pelo sucesso de seu partido, Aliança País (AP), nas eleições para a Assembléia Constituinte deste domingo."As projeções são claras. A vitória da cidadania é inquestionável. Permita-me, com a permissão dos equatorianos, felicitar aos candidatos da AP pela extraordinária campanha que desenvolveram", disse Correa em discurso no Palácio de Carondelet, sede do governo executivo."No dia de hoje se concretizam as esperanças de mudança urgente que a pátria necessita. O povo equatoriano venceu a mãe de todas as batalhas. E o fez de forma contundente."Pouco depois, Correa foi à sede do partido para comemorar a vitória.Correa se declarou vitorioso com base nos resultados das pesquisas de boca-de-urna divulgadas pela rede de TV Canal Uno pouco depois do fechamento das urnas. Desde o princípio, as pesquisas sugeriam que a AP elegeria 22 dos 24 deputados constituintes eleitos em nível nacional. O partido também parece dominar as eleições provinciais, que vão escolher outros cem deputados. Outros seis deputados seriam escolhidos no exterior, completando os 130 assentos da assembléia.Os dados foram corroborados horas mais tarde pela contagem da organização não-governamental Participação Cidadã, baseada no escrutínio das atas de votação.Segundo analistas, este é um dos golpes mais duros já sofrido pelos chamados partidos tradicionais, os representantes do que Correa chama de "partidocracia" e a quem atribui os males do país.Mas os primeiros resultados oficiais podem demorar vários dias, apesar de o Supremo Tribunal Eleitoral ter anunciado que poderá começar a divulgar dados já nesta segunda-feira à noite.O ex-presidente Lucio Gutiérrez, líder do partido Sociedade Patriótica, que, segundo as pesquisas, poderá ser a segunda maior força na Assembléia, pediu que se esperem os resultados oficiais.O diretor do partido, Fausto Lupera, explicou ao serviço hispânico da BBC por que eles rejeitam os resultados: "Estes não são resultados preliminares. Os resultados preliminares são quando são oficiais. Isso é uma palhaçada. Estamos esperando pela contagem para que possamos falar de resultados oficiais."Lupera disse ainda que o partido suspeita de fraudes, mas o ex-presidente peruano Alejandro Toledo, que lidera a missão de observadores do Centro Carter, disse à BBC: "O processo foi bastante regular. Não creio que haja variações. Não tenho informação de que exista fraude de nenhum dos lados."Em uma entrevista coletiva para anunciar a vitória, os candidatos da AP reiteraram que uma das primeiras decisões da Assembléia será suspender as atividades ou fechar o Congresso."Atualmente o Congresso tem 1% de credibilidade e a partir daí perdeu completamente a legitimidade. O povo pediu, é um clamor, que o Congresso vá para casa", disse à BBC Mónica Chunji, uma das candidatas da AP supostamente eleita em âmbito nacional.Mas o presidente do Congresso, Jorge Ceballos, afirmou ao Canal Uno que uma democracia não pode funcionar sem Parlamento."Respeito a decisão dos homens e mulheres equatorianos, que foram às urnas e votaram por um partido político. É preciso respeitá-la, mas isso não quer dizer que neste país podemos iniciar uma etapa violando a Constituição", disse Ceballos.A Assembléia Constituinte deverá se instalar no fim de outubro na pequena cidade de Montecristi, onde está sendo construído um centro de convenções.A Assembléia deverá trabalhar por um período de 180 dias podendo ser estendido por mais dois meses. Ao fim, a nova Constituinte deverá ser submetida a um referendo popular.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.