CORREÇÃO-Dívida mobiliária federal sobe a R$1,226 tri em outubro

A dívida mobiliária federal interna cresceu 0,13 por cento em outubro e alcançou o valor de 1,226 trilhão de reais, segundo dados do Tesouro Nacional divulgados nesta segunda-feira. No mês houve um resgate líquido de 13 bilhões de reais e a apropriação de juros somou 14,5 bilhões de reais. A participação da dívida cambial sobre a total, incluindo os contratos de swap, ficou em 1,32 por cento, frente a uma participação negativa de 2,35 por cento em setembro. Foi a primeira vez desde dezembro de 2005 que o passivo cambial do governo superou seus ativos e a reversão reflete os contratos de swap tradicionais ofertados pelo governo ao longo das últimas semanas para prover o mercado com liquidez cambial. A parcela dos títulos prefixados --considerados melhores para o gerenciamento da dívida-- caiu para 31,5 por cento em outubro, ante 32,42 por cento em setembro. Os papéis atrelados à Selic caíram para 35,93 por cento em outubro, ante 39 por cento no mês anterior, incluindo os contratos de swap. No mesmo período, a participação dos títulos corrigidos por índices de preços passou de 29,45 por cento para 29,75 por cento. O Tesouro informou, ainda, que recomprou o equivalente a 448,2 milhões de reais em setembro e outubro em títulos da dívida externa. As recompras somam até o momento um total de 1,9 bilhão de reais no ano. (Reportagem de Isabel Versiani)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.