Correção: Fortaleza quer nova seleção do Mais Médicos

A nota enviada anteriormente contém um erro. O total de médicos que optou por trabalhar em Fortaleza é de 26 e não 16 conforme mencionado. Segue matéria corrigida.

LAURIBERTO BRAGA, Agência Estado

13 de setembro de 2013 | 17h57

Dos 26 médicos brasileiros que optaram por trabalhar em Fortaleza, no Ceará, pelo programa federal Mais Médicos, 11 desistiram. Ficaram 15 que já estão prestando atendimento nos postos de saúde do Grande Bom Jardim, área mais violenta da cidade. Os desistentes alegaram falta de segurança.

A Secretaria de Saúde de Fortaleza solicitou ao Ministério da Saúde a abertura de nova chamada para as 11 vagas ociosas. A secretária municipal de Saúde, Socorro Martins, considera a desistência comum. "Isso é natural, porque eles têm interesse em um primeiro momento e depois avaliam. Acho que isso não aconteceu só no Ceará."

O Ceará é o Estado com um dos menores índices de médicos por mil habitantes. Enquanto a média nacional é de 1,8 médico por mil habitantes, o Ceará tem 1,05 médico/mil habitantes, a sétima pior média nacional.

Das 834 vagas ofertadas pelo Mais Médicos para o Estado, 106 brasileiros demonstraram interesse e apenas 35 iniciaram as atividades.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.