Correção: Funcionário é preso por furto em Viracopos

A nota enviada anteriormente contém uma incorreção. O funcionário que furtou bagagens em Viracopos, Campinas, trabalha para uma empresa terceirizada, e não para a concessionária que administra o aeroporto, conforme havia sido noticiado. A seguir a nota corrigida e com esclarecimentos adicionais da concessionária:

RICARDO VALOTA, Agência Estado

05 Dezembro 2012 | 13h48

Agentes da Polícia Federal (PF) prenderam na noite de terça-feira (04) um funcionário que furtava bagagens no Aeroporto de Viracopos, em Campinas, no interior de São Paulo. O jovem, de 26 anos, foi detido em flagrante e, segundo a concessionária que administra o terminal, a Aeroportos Brasil, trabalha para uma empresa terceirizada que opera no manuseio de malas, contratada pelas próprias companhias aéreas.

Segundo a PF, os agentes intensificaram a fiscalização no aeroporto em razão do "aumento nas queixas de passageiros que tiveram suas bagagens violadas". Os policiais encontraram, dentro das botas do funcionário, anéis e brincos, aparentemente bijuterias, retiradas de uma bagagem que estava no porão de uma aeronave que seguiria para João Pessoa (PB).

Em revista na delegacia local, foi encontrado dentro da cueca do rapaz um cabo USB para uso em telefone celular. De acordo com a PF, o furto ocorreu durante o carregamento das malas despachadas, "prática cada vez mais frequente em aeroportos de todo o mundo", afirma a corporação.

A PF afirma também que R.V.S.S. é o terceiro funcionário no aeroporto a ser preso pelos agentes por "crime de furto qualificado pelo abuso de confiança.". O rapaz, caso condenado, pode pegar de dois a oito anos de cadeia, além de multa.

Em nota, a Aeroportos Brasil afirmou que "tem investido no monitoramento e no trabalho integrado com as forças policiais para redução das ocorrências registradas no aeroporto". A empresa informou ainda que há oito câmeras de monitoramento instaladas na área de manuseio das bagagens e essas imagens são disponibilizadas à Polícia Federal para auxiliar nas investigações.

Mais conteúdo sobre:
prisão furto aeroporto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.